Google+ Followers

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Como se saltasse
De trás de uma grande moita
A luz irrompeu aflita,
Afoita
Rompendo a noite com seu machado
Com sua foice
Com seu açoite.

Métodos nada serenos,
O escuro foi alvejado
Sem ais nem menos.

Tomado de assalto
Sem tempo para apelos
Atropelos, sobressaltos
De seus alvéolos subtraído
Seus elos desintegrados.

Quanto alvoroço
Por nada!
Soubesse o dia
Que o alvo da noite
É a alvorada.